Razões para exercitar o Assoalho Pélvico com Pilates

Você frequenta a academia para fortalecer glúteos, quadríceps e bíceps? E o assoalho pélvico, você exercita? Esta região deveria ser constantemente fortalecida.

Mas, você sabe por quê? E você sabia que o Pilates é uma ótima opção de atividade física para trabalhar essa região imperceptível? Não!!! Hoje este será o nosso assunto. Primeiro devemos entender:

 O que é assoalho pélvico?

O assoalho pélvico é formado pelos órgãos da região baixa do abdômen. As suas funções estão relacionadas aos sistemas reprodutor, urinário e digestivo.  ​Os músculos, tendões e fáscias localizados na região, mantém estes órgãos posicionados e estabilizados.

Essa musculatura pode ser enfraquecida por algumas razões como:

  • Sobrecargas;
  • Envelhecimento natural;
  • Alterações hormonais (menopausa e andropausa);
  • Falta de fortalecimento da musculatura.

 

Qual a função do assoalho pélvico?

Os músculos do assoalho pélvico são responsáveis pelo fechamento do hiato urogenital, manutenção da continência urinária e fecal. Atuam também na sustentação dos órgãos na cavidade abdominal. Os músculos e ligamentos que o compõe apresentam um papel dinâmico de contração e relaxamento sincronizados em atividades como tosse e espirros, auxiliando na continência urinária, além de atuar durante a atividade sexual e o trabalho de parto das mulheres.

 

Razões para exercitar o assoalho pélvico

Veja as razões do enfraquecimento da região que deve ser exercitada constantemente:

  1. A mulher é mais suscetível à fragilidade do assoalho pélvico pois nesta região possui a uretra, a vagina e o ânus, enquanto os homens apenas a uretra e ânus.
  2. Na gravidez há um enfraquecimento natural, pois o assoalho precisa sustentar o bebê. Nesta fase ocorrem alterações corporais e hormonais, como a relaxina, que atua deixando a musculatura pélvica mais “relaxada” para o trabalho de parto.
  3. Após o parto, o canal vaginal fica mais seco e dolorido. A mulher que possui um assoalho pélvico fortalecido sente diferença na recuperação;
  4. Com o passar dos anos, pode surgir a incontinência urinária, fecal, prolapso genital (bexiga caída) e disfunções sexuais.
  5. Toda atividade que exerça pressão intra-abdominal, como tossir, rir, carregar muito peso, traz sobrecarrega a musculatura.
  6. Com a chegada da menopausa e andropausa, os níveis hormonais caem, dificultando o bom funcionamento da estrutura.
  7. A obesidade, algumas cirurgias, a genética e a falta de colágeno também prejudicam a região
  8. Fortalecer esta musculatura irá melhorar as relações sexuais, pois traz mais sensibilidade, evita problemas como dor e sangramentos.

O Método Pilates exercitando o Assoalho Pélvico

Um dos princípios do Método Pilates é o fortalecimento do Power house, e o assoalho pélvico faz parte deste cinturão de força. O Pilates busca melhorar o funcionamento do corpo através do fortalecimento da região pela contração muscular que deve ser mantida durante a execução dos exercícios. Os limites do power house atingem a pelve fazendo com que o assoalho pélvico também participe dessa contração muscular. Na expiração, essa região deve ser solicitada e contraída voluntariamente na execução dos movimentos.

O Pilates é sem dúvidas uma ótima forma de prevenção e tratamento nas disfunções do assoalho pélvico.

E não podemos esquecer também de todos os outros benefícios que o Pilates proporciona.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *